Oficina Deficiência e Sociedade

Em 14 de dezembro de 2017 o Instituto de Tecnologia Social ITS BRASIL realizou na sede da CAMP OESTE na região da Lapa, a Oficina Deficiência e Sociedade para cerca de 40 profissionais que atuam como educadores e em demais setores da instituição.

Durante o encontro, as profissionais Vilma Roberto e Gisele Lima falaram sobre deficiência e os mitos que ainda existem em relação a pessoas com deficiência, os termos corretos e como abordar estes cidadãos.

Vilma, que possui deficiência visual, alertou que a sociedade precisa eliminar as barreiras que impedem as pessoas com deficiência de participar em plenas condições de igualdade com as demais.

Os presentes aproveitaram para tirar uma série de dúvidas sobre o tema, pois muitos deles possuem pessoas com deficiência na família e, mesmo com a convivência, ainda desconhecem o potencial destes.

Estamos disponíveis para realizar oficinas para diversos públicos.
Informações podem ser obtidas pelo e-mail its@itsbrasil.org.br

 

Debate: Mulheres e lutas na periferia de SP

Este importante debate aconteceu no dia 04 de outubro na livraria Tapera Taperá, e contou com a presença de Irma Passoni, militante do MCV e de outras movimentos populares nos anos 1970, ex-deputada estadual pelo MDB (1979-82) e federal pelo PT (1983-95) e fundadora do Instituto de Tecnologia Social.

Além de Irma Passoni, estiveram no debate Natália Szermeta – Coordenadora do MTST, em São Paulo, Alana Moraes – Doutoranda pelo Museu Nacional/UFRJ que compõe o Urucum Pesquisa-Luta e Thiago Monteiro – Mestre em História Social pela USP, autor do livro “Como pode um povo vivo viver nesta carestia: o Movimento do Custo de Vida em São Paulo (1973-1982)”.

A história das lutas do Movimento do Custo de Vida aborda experiências fundamentais para a fundação e existência do ITS BRASIL.

Assim, deixamos aqui algumas fotos do evento e o vídeo de registro.

Escola para todos

Compartilhamos aqui a publicação da UNESCO que trata da inclusão social em escolas. Para gerar a transformação social e o desenvolvimento humano é preciso o respeito às diferenças e às diferentes potencialidades, bem como às formas de contribuição que cada um tem a oferecer e isso deve ser construído desde a infância.

Esta publicação trata, especificamente, da inclusão educacional das pessoas com deficiência, transtornos do espectro autista (TEA), transtornos globais do desenvolvimento (TGD) e altas habilidades/superdotação ao apresentar as experiências de governos municipais com suas respectivas escolas públicas.

A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (2006), ratificada pelo Brasil com status constitucional em 2009, está na base dos esforços das Nações Unidas para contribuir com a garantia dos direitos desse grupo. Essa Convenção – que foi o primeiro tratado global de direitos humanos do século XXI – reposiciona a questão da deficiência a partir das questões sociais e culturais que introduzem barreiras e limitações no acesso das pessoas com deficiência a direitos fundamentais, ao lançar um novo olhar e apontar novas demandas para as políticas públicas, com base na percepção de que as pessoas com deficiência são sujeitos de direitos e não indivíduos cuja condição impõe restrições de acesso à cidadania plena.

Veja aqui:

http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/escola_para_todos_experiencias_de_redes_municipais_na_incl>