A Inovação social em destaque no FAB LAB LIVRE SP: Conheça a Residência Maker

O FAB LAB LIVRE SP representa a maior rede de laboratórios públicos de fabricação digital no mundo. Suas 12 unidades atendem a todos os tipos de público e ocupam os mais diversos territórios da cidade. Uma vez inseridos em uma comunidade, os laboratórios passam a fazer parte da cotidiano local, identificando, acompanhando e vivenciando suas demandas sociais específicas.

A Residência Maker, uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo e da Secretaria de Inovação e Tecnologia da cidade, é um programa de apoio a projetos de inovação social, ou seja, criações que propõem soluções para uma demanda coletiva na sociedade. O programa será desenvolvido sob o tema “habitação: do micro ao macro” e terá como foco o entorno do Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes, equipamento cultural que abriga uma das unidades do FAB LAB LIVRE SP.

A habitação compreende um dos grandes problemas do país, apresentando, em megacidades como São Paulo, uma realidade particularmente complexa. Neste tema, o distrito Cidade Tiradentes destaca-se por abrigar o maior complexo de conjuntos habitacionais da América Latina, contando com vertiginoso crescimento populacional nos últimos 30 anos e um protagonismo ativo por parte de seus moradores na reivindicação de direitos e melhorias.

Em julho, foram selecionadas três residentes para participar do programa. Carolina Paulino, de 22 anos, moradora do bairro Vila Laís, e estudante de Gestão de Políticas Públicas. Daniela Perez, de 36 anos, moradora de Pinheiros, formada em administração de empresas e estudante de arquitetura e urbanismo. Jaqueline Thomé, 30 anos, moradora da Cidade Tiradentes e estudante de engenharia civil e transporte terrestre.

A multidisciplinaridade representou um critério muito importante para a formação do grupo de residentes. O edital esteve aberto a todos os níveis de escolaridade, considerando que a diversidade de vivências pessoais e experiências profissionais do grupo tem o potencial de conferir autenticidade e criatividade aos projetos a que se dedicarão, como acrescenta Carolina Paulino: “Minha expectativa é poder aprender com pessoas de formações e trajetórias diferentes da minha e, ao mesmo tempo, desenvolver um projeto significativo para a comunidade de Cidade Tiradentes.”

O distrito, que concentra 13 grandes conjuntos habitacionais, somando mais de 40 mil unidades, foi construído entre 1975 e 1997, sendo planejado enquanto um “bairro dormitório”. Esta alta concentração populacional encontra-se combinada a diversos problemas sociais, infraestrutura precária e baixo número de equipamentos e serviços culturais à disposição da população, como aponta Daniela Perez: “A Cidade Tiradentes é enorme em sua extensão, mas pequena em reconhecimento. Em toda São Paulo, quase 60 bairros não contam com museus e em quase 40 não há cinemas. E isso acontece com a Cidade Tiradentes”.

O programa propõe o reforço do elo entre tecnologia e necessidade social sob a prática do “faça você mesmo” e do “faça com os outros”, pilares importantes da cultura maker. Neste processo coletivo e que tem como foco uma demanda social, a escuta e a participação da comunidade são condições fundamentais para a realização do trabalho, como destaca Jaqueline Thomé: “Estamos fazendo pesquisas e entendendo a necessidade da comunidade. Estamos pensando em algo para o bem comum e que, através da realização desse projeto, as pessoas também se sintam incentivadas a realizar o mesmo”.

A Residência Maker prevê, de julho a setembro, a convivência diária junto aos técnicos, o contato com o ciclo básico da fabricação digital e a realização de pesquisas de campo no entorno do laboratório. Neste processo, as residentes criarão um projeto com base na identificação de alguma demanda social local ligada à habitação, e desenvolverão um protótipo por meio da fabricação digital. Além disso, participarão de palestras e workshops com especialistas e oferecerão oficinas abertas ao público.

O trabalho desenvolvido pelas residentes Carolina Paulino, Daniela Perez e Jaqueline Thomé será exposto no evento SP Maker Week no mês de setembro, finalizando o processo da residência.

Siga as redes sociais do FAB LAB LIVRE SP e saiba mais sobre o Residência Maker no site http://www.fablablivresp.art.br/residencia-maker

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *