Montagem de fotos dos projetos de Ana Luisa. No canto superior esquerdo, uma floreira de pokemon impressa em 3D. No canto superior direito, há um gaveteiro em mdf com gaveta transparente. No canto inferior esquerdo, há uma moldura em acrílico preto e no canto inferior direito, um modelo em mdf do abrigo de emergência.

A importância da fabricação digital

Depoimento de Ana Luisa Martins sobre sua experiência com a rede Fab Lab LIVRE SP

Conheci o mundo da Fabricação Digital durante o começo do ano passado enquanto buscava um sistema construtivo para a edificação do meu TFG da faculdade, um abrigo emergencial, e quanto mais pesquisava sobre o assunto mais fascinada e interessada ficava.

Me aprofundei bastante na teoria das tecnologias CAD (Desenho Assistido por Computador) e CAM (Manufatura Auxiliada por Computador), que estão cada vez mais presentes não só na construção civil, mas em diversas áreas como design, indústria automobilística, naval, aeronáutica, entre outras. O computador revolucionou e mudou tudo, atualmente com a evolução das tecnologias, as máquinas controladas por computador, como a fresadora CNC, a máquina de corte a laser e a impressora 3D, que são as chamadas tecnologias CAM, se tornaram mais acessíveis financeiramente a faculdades e programas públicos como o Fab Lab LIVRE SP.

Encontrei a rede Fab Lab LIVRE SP por acaso enquanto procurava um local para realizar os protótipos do meu projeto, entrei no site, vi os cursos, fiz a inscrição para um, fui ao Fab Lab Penha, e após um curso acabei fazendo todos os outros que a unidade oferecia.

Os cursos do fab lab me ajudaram a realmente entender os conceitos que eu havia estudado apenas na teoria, e devido à possibilidade de realizar protótipos pude prever erros na arquitetura do abrigo que estava projetando, erros que eram possíveis de ver em um modelo físico, mas não em um digital.

Frequento os fab labs até hoje, mesmo após o término do meu trabalho, e já fui em outros da rede além da Penha como: Itaquera, Centro Cultural SP e Olido, que foram os mais acessíveis por estarem mais perto de estações de metrô e localizados na região centro-leste.

A proposta da rede Fab Lab LIVRE SP é revolucionária em vários aspectos, gosto principalmente do aspecto de serem locais para fabricação de ideias, lugares de estímulo ao conhecimento de tecnologias e ferramentas novas. Eu mesma nunca tinha tido contato com eletrônica ou placas de programação, mas vendo o arduino, os objetos feitos com ele, acabei me interessando, e por isso realizei os cursos sobre o mesmo e minha curiosidade só cresce em relação à área, pois consigo ver como ela pode se interligar com as outras tecnologias do fab lab e até mesmo fora. É esse mundo de possibilidades que se abre que faz as pessoas voltarem, elogiarem e trazerem suas próprias ideias e transformarem em projetos.

Outro aspecto importante da rede de fab labs é sua dispersão pela cidade de São Paulo, estando presente em todas as regiões, tornando o contato com eles possível e mais frequente. Ao contrário da maioria dos equipamentos públicos (museus, centros culturais, ..) que fica concentrada no centro, o que faz com que pessoas de zonas mais afastadas não consigam ter acesso, devido à falta de tempo, ou conhecimento do que são determinados equipamentos, o que fazem, etc.

Sequência de 3 fotos que mostram uma mini jardineira em formato de bubassauro na cor laranja. A foto do meio mostra a impressora 3D imprimindo o bubassauro em plástico PLA. Sequência de 3 fotos que mostram um gaveteiro com duas gavetas feito em mdf e acrílico. A primeira foto mostra o gaveteiro fechado e as outras fotos mostram o gaveteiro aberto. Sequência de 3 fotos que mostram dois ângulos de visão do modelo de abrigo emergencial. O modelo é feito em mdf num formato retangular e com apoios para uma cobertura curva com suporte em madeira. A foto do meio mostra a máquina de corte a laser fazendo os cortes numa peça única de mdf. Sequência de três imagens dos quadros de acrílico preto em formato retangular. As fotos mostram os quadros com cartas de baralho no espaço interno. Cada um dos dois quadros encaixa no outro como peças de quebra-cabeça.

Nas imagens se encontram alguns dos projetos que fiz durante algumas oficinas e também por agendamento prévio, então, apesar de ter procurado o fab lab por uma questão acadêmica, depois de conhecer as máquinas desengavetei alguns outros projetos que não tinham relação com a faculdade.

Uma questão interessante que observei nos cursos que fiz foi a diversidade de pessoas que procuram os cursos dos fab labs. São pessoas de todas as idades e profissões, entretanto todas tem visões de como podem utilizar as máquinas para realizar algum projeto pessoal, ou quem vai só por curiosidade no final já pensa no que poderia realizar depois. Então, são ferramentas que estimulam a criatividade em diferentes níveis, desde a modelagem, até a escolha de material e montagem.

Adoro a possibilidade que a rede cria de compartilhar o que aprendi e continuo aprendendo sobre esse mundo da Fabricação Digital, e até inspirar outras pessoas para que se tornem entusiastas criativas, assim como eu acabei me tornando ao entrar em contato com as tecnologias presentes nos fab labs.

Ana Luisa Martins

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *